Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Também enfatizou o peso significativo que os partidos patrióticos tiveram em geral, e o PCV em particular, para garantir a vitória em vários estados, o que “deve ser uma mensagem a que o partido do governo deve atender, para permitir as mudanças necessárias na sua política de alianças”.

 

Caracas, 18 de outubro de 2017, Tribuna Popular TP [1] – O Partido Comunista da Venezuela (PCV) expressou a sua satisfação perante a demonstração da maturidade política dos trabalhadores venezuelanos, com a sua participação maciça nas últimas eleições regionais, o que representa uma clara mensagem de rejeição dos setores fascistas e da sua agenda de violência executada durante vários meses nas principais cidades do país.

 

Isso foi dito por Carlos Aquino, membro da Comissão Política do PCV, assegurando que “houve uma rejeição significativa de diferentes setores à política violenta e guarimbera [2] que não reflete as posições e opiniões do povo muito heterogéneo que, todavia, apoia setores da oposição”.

 

Além disso, Aquino referiu que as eleições regionais significaram também uma ação “em defesa do nosso país, da soberania e da autodeterminação do povo, para estabelecer o caminho do desenvolvimento que mais nos convenha e que, como povo, nós estabeleçamos”.

 

Da mesma forma, o PCV reconheceu a transparência do processo eleitoral e, ao mesmo tempo, apoia a proposta do presidente Nicolás Maduro de realizar uma auditoria a 100% das votações, a nível nacional.

 

PCV como segunda força do bloco patriótico

O PCV enviou uma saudação e um reconhecimento combativo às mais de 300 mil pessoas que manifestaram a sua opção com o voto no Galo Vermelho [3], como uma mensagem crítica para setores da direita pró-imperialista e do fascismo, mas também para setores reformistas e entreguistas no seio do governo.

 

De 23 estados, em 21 somos a segunda força do conjunto das organizações patrióticas”, disse Carlos Aquino.

 

Também enfatizou o peso significativo que os partidos patrióticos tiveram em geral, e o PCV em particular, para garantir a vitória em vários estados, o que “deve ser uma mensagem a que o partido do governo deve atender, para permitir as mudanças necessárias na sua política de alianças”.

 

No caso específico do estado de Apure, o PCV saudou os 28.248 homens e mulheres que expressaram o seu voto crítico pela opção revolucionária de Víctor Castillo, que atingiu 14,4%, “apesar do oportunismo, das agressões, do sectarismo e do peso do institucionalismo do candidato vencedor”.

 

Notas

[1] Tribuna Popular é o órgão do CC do Partido Comunista da Venezuela. – NT

[2] guarimbero – de guarimba: método de luta da oposição venezuelana para boicotar ações do governo, que consiste em ocupar violentamente as ruas, destruir mobiliário, disparar armas de fogo e tentar produzir reações repressivas do governo (https://www.aporrea.org/actualidad/a37454.html). – NT

[3] Símbolo do PCV. – NT 

 

Fonte: publicado em 2017/10/20, em https://prensapcv.wordpress.com/2017/10/20/participacion-electoral-demostro-madurez-politica-del-pueblo-venezolano/

 

Tradução do castelhano de PAT

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)



Nota dos Editores

A publicação de qualquer documento neste sítio não implica a nossa total concordância com o seu conteúdo. Poderão mesmo ser publicados documentos com cujo conteúdo não concordamos, mas que julgamos conterem informação importante para a compreensão de determinados problemas.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.