Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Partido Comunista da Turquia (TKP)

Tradução do inglês de PAT

 

A turba reacionária – cerca de 5 mil pessoas, no total –, concentrou-se e incendiou o Hotel Madimak, onde estavam alojados os participantes na iniciativa, entoando slogans como “Nós queremos a sharia” e “Sivas será o túmulo de Aziz Nesin”. À medida que as pessoas iam sendo queimadas vivas, as forças de segurança não fizeram nada para afastar os atacantes.

 

 

 

O Partido Comunista da Turquia (TKP) participou nos comícios do 24.º aniversário do massacre de Sivas, em Dikmen e Mamak, distritos de Ancara, a capital da Turquia.

 

Centenas de pessoas reuniram-se em frente à Associação Cultural Pir Sultan Abdal (PSAKD), uma associação fundada em 1988 para promover os direitos culturais e políticos dos Alevis [1], na Turquia.

 

Foram deixados cravos em frente do edifício, em memória das 33 pessoas queimadas vivas no massacre de Sivas, em 1993. Durante o discurso comemorativo foi sublinhado que a escuridão sobre o massacre de Sivas continua, com o domínio do governo do AKP na Turquia. Os participantes entoaram os slogans “Turquia socialista contra a sharia” e “A luz de Sivas nunca desaparecerá” durante a concentração. Realizou-se uma iniciativa no parque construído para homenagear as pessoas mortas no massacre de Sivas, com alguns discursos, e cantaram-se canções folclóricas em memória dessas pessoas.

 

Em 2 de julho de 1993, ia realizar-se uma iniciativa cultural em Sivas, um distrito da Turquia, na Anatólia central, com a participação em massa da população Alevi, em conjunto com vários autores de esquerda, poetas e bardos. A iniciativa era organizada pela Associação Cultural Pir Sultan Abdal (PSAKD). Antes da iniciativa, várias pessoas reacionárias reuniram-se, de forma organizada, em Sivas, distribuindo folhetos que tinham como alvo Aziz Nesin, um famoso escritor de novelas de esquerda e um dos participantes na iniciativa, por traduzir para turco os Versículos Satânicos, de Salman Rushdie.

 

A turba reacionária – cerca de 5 mil pessoas, no total –, concentrou-se e incendiou o Hotel Madimak, onde estavam alojados os participantes na iniciativa, entoando slogans como “Nós queremos a sharia” e “Sivas será o túmulo de Aziz Nesin”. À medida que as pessoas iam sendo queimadas vivas, as forças de segurança não fizeram nada para afastar os atacantes.

 

Apesar de Aziz Nesin ter sido resgatado do hotel em chamas, 33 pessoas foram queimadas vivas nesse dia.

O caso de Madimak foi parado até à prescrição e os conselheiros dos atacantes são agora deputados do dominador governo do AKP.

 

Notas

[1] Alevis ou alevitas: seguidores de um ramo do Islão xiita, com algumas influências pré-islâmicas – https://es.wikipedia.org/wiki/Alev%C3%ADs. - NT

 

Fonte: publicado em: http://www.tkp.org.tr/en/parti-gundemi/tkp-attended-rallies-24th-anniversary-sivas-massacre

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)



Nota dos Editores

A publicação de qualquer documento neste sítio não implica a nossa total concordância com o seu conteúdo. Poderão mesmo ser publicados documentos com cujo conteúdo não concordamos, mas que julgamos conterem informação importante para a compreensão de determinados problemas.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.