Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Partido Comunista da Venezuela (PCV)

Tradução do castelhano de TAM

 

Para nós, comunistas venezuelanos, está claro que o que está em desenvolvimento é a agudização da luta de classes na sua expressão política, quer dizer, a escalada da luta pelo poder. As forças que representam os grandes interesses dos grandes capitais monopolistas norte-americanos e europeus pretendem assenhorear-se do poder na Venezuela e em toda a América Latina, para vergar e derrotar todos os setores sociais e políticos que oponham resistência a tais objetivos.

 

 

Caracas, 19 de abril de 2017

 

O PCV apela à mais ampla unidade de ação anti-imperialista para derrotar o plano desestabilizador e golpista

Ao compatriota Nicolás Maduro, presidente da República;

À classe operária e ao povo trabalhador da cidade e do campo;

Às e aos oficiais, suboficiais, soldados e patriotas da FANB [Força Armada Nacional Bolivariana];

Às direções nacionais e aos militantes dos partidos políticos e organizações sociais do Grande Polo Patriótico, incluindo o PSUV:

 

 A República Bolivariana da Venezuela está ameaçada, uma vez mais, pelo desenvolvimento das ações de violência política de setores da extrema-direita executando um plano desestabilizador urdido pelo imperialismo dos Estados Unidos, com o objetivo de impor, pela força e pela chantagem, um governo ao serviço da sua hegemonia no continente, desarticulando os processos de libertação nacional iniciados na América Latina no começo deste século, revertendo as mudanças progressistas que permitiram às trabalhadoras e trabalhadores e ao povo em geral estabelecer direitos e conquistas sociais negados historicamente por governos que corresponderam, absolutamente, aos interesses da grande burguesia subordinadamente associada ao imperialismo norte-americano.

Neste momento, a escalada agressiva contra o nosso povo da parte de agentes da oligarquia e da extrema-direita é muito maior. Além disso, a violência contra o povo que a falta de abastecimentos e o alto custo de vida constituem, puseram em marcha nas últimas semanas atos terroristas em várias cidades do país, acompanhados de uma guerra na comunicação social nacional e internacional. com o objetivo de gerar a confusão e instigar à confrontação entre compatriotas, para criar um estado geral de caos e violência que cause um cruento desenlace do conflito político por via de um golpe de Estado e/ou uma intervenção direta do imperialismo americano e das instituições internacionais ao seu serviço. A extrema-direita venezuelana, seguindo as orientações do imperialismo ianque e com o seu financiamento, não se contém nos seus atos criminosos de violência e provocação.

Com tais propósitos, a direita pró-ianque pressiona a oficialidade da FANB com diversas formas de manipulação e chantagem. Apelamos aos militares patriotas a não ceder perante os terroristas apátridas e a assumir sem vacilações e com firmeza, a defesa da soberania e independência nacional e a segurança do nosso povo.

Para nós, comunistas venezuelanos, está claro que o que está em desenvolvimento é a agudização da luta de classes na sua expressão política, quer dizer, a escalada da luta pelo poder. As forças que representam os grandes interesses dos grandes capitais monopolistas norte-americanos e europeus pretendem assenhorear-se do poder na Venezuela e em toda a América Latina, para vergar e derrotar todos os setores sociais e políticos que oponham resistência a tais objetivos.

Face a esta perigosa escalada terrorista, que põe em risco a soberania e a independência nacional e as conquistas do povo trabalhador, apelamos a uma resposta em unidade, com firmeza e coerência. É necessário ativar sem mais demoras a ampla aliança anti-imperialista, com o objetivo de derrotar o plano terrorista e golpista. É necessária a ação conjunta e a articulação entre o governo, os partidos do Grande Polo Patriótico, as forças do movimento operário e popular e a oficialidade patriótica da FANB. É necessário um PLANO UNITÁRIO PATRIÓTICO E POPULAR para derrotar a direita terrorista e o imperialismo. Não o fazer é atuar com irresponsabilidade, não o fazer é, na prática, entregar-se. As e os verdadeiros revolucionários não se entregam, lutam unidos até vencerem.

O povo trabalhador venezuelano exige que os setores da pequena burguesia que exercem a hegemonia no Executivo Nacional, os restantes poderes públicos e o partido do governo abandonem imediatamente qualquer comportamento sectário e autossuficiente, comportamento que debilitou o processo bolivariano e, na prática, serve o plano do inimigo.

Há anos que o PCV insiste na necessidade de uma direção unitária e coletiva do processo bolivariano de mudanças, mas as tendências pequeno-burguesas que têm exercido a direção hegemónica do governo não têm prestado atenção a estes apelos e propostas e é por essa razão que, na atual conjuntura, insistimos na necessidade imperiosa de unidade de ação de todas as forças políticas e sociais dispostas a dfender a pátria face ao inimigo imperialista e seus lacaios.

 

 

Publicado em 2017/04/19, em: https://prensapcv.wordpress.com/2017/04/19/PCV-LLAMAMIENTO-PATRIOTICO-Y-ANTIIMPERIALISTA/

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)



Nota dos Editores

A publicação de qualquer documento neste sítio não implica a nossa total concordância com o seu conteúdo. Poderão mesmo ser publicados documentos com cujo conteúdo não concordamos, mas que julgamos conterem informação importante para a compreensão de determinados problemas.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.