Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O desenvolvimento da mobilização demonstra que importantes setores populares relacionam claramente a política de guerra do Estado espanhol e das coligações e organizações imperialistas em que participa – como a NATO e a União Europeia – com o fenómeno do terrorismo jihadista.

 

 

O Secretariado Político do Partido Comunista fez uma primeira avaliação sobre a mobilização de ontem, 25 de agosto, em Barcelona, de ​​que destaca os seguintes elementos: 

  1. Apesar dos apelos de todas as instituições burguesas à participação, a manifestação não teve a presença esperada pelos que a convocaram. De acordo com os Mossos d'Escuadra [polícia catalã - NT] participou meio milhão de pessoas, uma participação muito inferior à de manifestações similares ou às últimas grandes manifestações em Barcelona.
  2. A anunciada presença dos principais representantes do Estado, encabeçados por Felipe VI e pelo Presidente do Governo, seguida de uma comitiva em que se misturaram, sem distinção, os representantes de todas as forças políticas parlamentares (incluída a velha e a nova social-democracia, que viajou de Madrid no “avião da casta”), teve uma forte contestação popular, expressa sob a forma de assobios, consignas, pancartas críticas e com a convocatória de uma mobilização alternativa, em que participaram milhares de pessoas.
  3. Apesar da campanha de manipulação posta em prática por todas as instituições burguesas, com o apoio dos monopólios mediáticos, o povo não se deixou enganar com os apelos à falsa unidade. O desenvolvimento da mobilização demonstra que importantes setores populares relacionam claramente a política de guerra do Estado espanhol e das coligações e organizações imperialistas em que participa – como a NATO e a União Europeia – com o fenómeno do terrorismo jihadista. As palavras de ordem maciçamente adotadas, como “as vossas guerras, os nossos mortos", assim o confirmam.
  4. Também não teve êxito a campanha racista e reacionária da extrema-direita para criminalizar e culpar os povos árabes e a comunidade muçulmana residente em Espanha de terrorismo. Essa campanha, apesar de ter o apoio de setores da direita política e de certos setores mediáticos, foi claramente contestada pelo povo nas ruas de Barcelona.  
  5. O nosso Partido pronunciou-se com toda a clareza sobre os atentados, apelando à “luta contra o imperialismo e as suas guerras” e à “denúncia dos autores destes ataques e dos seus cúmplices, que favorecem, com a sua agressividade e as suas alianças com países terceiros, o desenvolvimento de organizações assassinas como o Estado Islâmico”; também apelou à “luta decidida contra o racismo, a xenofobia e todas as formas de reação, desenvolvendo amplamente a solidariedade com a população árabe e ou muçulmana que vive em Espanha”. Em coerência, não apelámos à participação na tentativa de manipulação orquestrada pelos principais dirigentes imperialistas e exploradores – a manifestação de ontem –, mas a seguir uma linha de confronto e luta. Estamos satisfeitos por as nossas posições, compartilhadas por amplos setores operários e populares, terem tido um claro reflexo, durante o dia de ontem, nas ruas de Barcelona, ​​onde a militância comunista se empenhou na distribuição de milhares de folhetos a apelar à luta.
  6. Nos próximos tempos teremos de continuar a enfrentar diferentes campanhas de manipulação impulsionadas pelas classes dominantes. Ninguém deve baixar a guarda, ninguém deve marchar sob as falsas bandeiras dos imperialistas, ninguém deve cair nas armadilhas para dividir a classe operária e o povo em benefício dos capitalistas, nem cair nas suas manobras e guerras.

Nem terra, nem mar, nem ar para os imperialistas e os seus grupos terroristas!

Solidariedade internacionalista e de classe contra a reação!

Secretariado Político do PCPE, 26 de agosto de 2017

 

Fonte: publicado em 2017/08/27, em http://www.partido-comunista.es/comunicados-centrales/secretariado-politico-del-pcpe-las-manifestaciones-barcelona-les-vostres-guerres-els-nostres-morts/

 

Tradução do castelhano de MFO

 

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)



Nota dos Editores

A publicação de qualquer documento neste sítio não implica a nossa total concordância com o seu conteúdo. Poderão mesmo ser publicados documentos com cujo conteúdo não concordamos, mas que julgamos conterem informação importante para a compreensão de determinados problemas.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.