Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Partido Comunista Brasileiro (PCB)

 

 Apesar de constatarmos as tensões e contradições interburguesas e entre os poderes do Estado burguês brasileiro, sabemos que o programa de medidas antipopulares contra os direitos sociais, políticos e trabalhistas unifica a burguesia e é vital para a manutenção da acumulação capitalista no Brasil e no mundo.

 

Nesta quarta feira, dia 17/05, foi tornada pública, através das organizações Globo, a denúncia do dono da JBS, maior produtora de proteína animal do mundo, contra o golpista Michel Temer e seus aliados. A gravação comprova a participação de Temer na propina mensal dada a Eduardo Cunha em troca do seu “silêncio”. Sem popularidade alguma, enfrentando a resistência de diversos setores da sociedade e, em especial, dos trabalhadores em luta contra as medidas antipopulares, Temer parece estar com os dias contados na presidência da República.

  

 

O PCB se soma às manifestações unitárias convocadas pelos movimentos sociais e organizações políticas de esquerda contra o governo Temer e as “reformas” que retiram direitos históricos da classe trabalhadora. Apesar de constatarmos as tensões e contradições interburguesas e entre os poderes do Estado burguês brasileiro, sabemos que o programa de medidas antipopulares contra os direitos sociais, políticos e trabalhistas unifica a burguesia e é vital para a manutenção da acumulação capitalista no Brasil e no mundo. Hoje, os mesmos setores conservadores da sociedade brasileira que apoiaram e colocaram Temer e sua quadrilha no poder, como a Rede Globo, apostam na sua queda e negociam mais uma saída pelo alto, um pacto no interior da classe dominante sem participação efetiva da classe trabalhadora, provavelmente na direção de uma eleição indireta a ser conduzida pelo corrupto e degenerado parlamento. Querem novo pacto burguês que faça avançar o processo de retirada de direitos dos trabalhadores, com a intensificação da criminalização dos movimentos populares e mais restrição à participação política dos trabalhadores na já limitada democracia burguesa.

 

Neste momento, devemos centrar nossa luta contra o programa econômico e social  da  burguesia  e  seu  sistema  político,  profundamente  autoritário       e excludente, em que viceja a corrupção endêmica e toda a degeneração da sociedade capitalista. O PCB acredita que a maior força da classe trabalhadora é sua luta organizada, razão pela qual conclama a militância comunista a atuar em conjunto com as organizações do campo popular e socialista para fortalecer as mobilizações nas ruas, nos locais de trabalho, moradia e estudo, com o propósito maior de derrubar o governo Temer e derrotar as contrarreformas. Com muita unidade e luta é hora de a classe trabalhadora construir seu próprio programa para a crise, fortalecer seus movimentos e entidades independentes, na perspectiva do poder popular, rumo ao socialismo.

 

Pela revogação do congelamento dos gastos públicos por 20 anos e da lei das terceirizações!

 

Pela retirada dos projetos de reformas trabalhista e da Previdência! Pela anulação das privatizações!

NENHUM DIREITO A MENOS! FORA TEMER!

 

1 Nota da Comissão Política Nacional do PCB. [Mantém-se a variante do português do Brasil - NE]

 

Publicado em 2017/05/18, em: https://pcb.org.br/portal2/144462017-05-19 - PCB - derrotar Temer.pdf

 

 

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)



Nota dos Editores

A publicação de qualquer documento neste sítio não implica a nossa total concordância com o seu conteúdo. Poderão mesmo ser publicados documentos com cujo conteúdo não concordamos, mas que julgamos conterem informação importante para a compreensão de determinados problemas.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.