Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Partido Comunista da Grécia (KKE)

Nas eleições registou-se o justificado descontentamento popular com o governo do SYRIZA, que, nos anos anteriores, implementou a linha política antipopular, continuando o trabalho dos governos da ND e do PASOK. No entanto, é negativo que uma camada do povo se tenha virado para velhas e testadas escolhas antipopulares como a ND. A exploração e difamação dos valores socialistas de esquerda por parte do SYRIZA desmobilizaram a esquerda radical e popular, e tiveram um impacto negativo no movimento laboral e popular.

 

kke-syntagma-146.jpg_2126691551.jpg

Nas últimas eleições gerais realizadas na Grécia, em 7 de julho de 2019, o Partido Comunista da Grécia obteve 300.000 votos e 5,3%, com a reeleição de 15 deputados ao Parlamento grego. Este resultado foi obtido em condições de mudança da correlação de forças entre os partidos burgueses, com uma tendência generalizada para o aumento do conservadorismo, da chantagem e uma desilusão desenvolvida pela linha política antipopular do governo de “esquerda” do SYRIZA.

O partido conservador da ND ficou em primeiro lugar, com 39,8%, e o descontentamento popular foi claro em relação ao governo do SYRIZA, que obteve 31,5%.

O KINAL, a continuação da antiga social-democracia na Grécia, entrou no novo parlamento com 8,1%; o partido nacionalista-racista “Solução Grega”, com 3,7%, e o outro partido social-democrata MERA25, com 3,4%, também entraram no parlamento. Em contraste, 16 partidos não ultrapassaram o limiar eleitoral de 3%, incluindo a organização fascista e criminosa do Golden Dawn [Aurora Dourada], cujos votos diminuíram significativamente para 2,9%.

pinak_parliam2019_En.jpg

Imediatamente após a declaração dos resultados, Dimitris Koutsoumpas, SG do CC do KKE, fez a seguinte intervenção:

«Agradecemos a todos aqueles que votaram no KKE e, especialmente, àqueles que o fizeram pela primeira vez. Além disso, agradecemos aos que colaboraram com o KKE nesta batalha eleitoral, participaram nas suas listas, ainda que, no passado, tenham pertencido a outras correntes políticas, continuando uma mobilização semelhante à que também ocorreu durante as eleições europeias. Saudamos os milhares de membros, quadros, amigos do Partido e a KNE [organização da juventude do KKE], que deram o seu melhor para fortalecer o KKE.

O dia seguinte encontrará novas forças no caminho do contra-ataque, no caminho da luta política de classes.

As condições das eleições – assim como das eleições europeias, há um mês –, refletiram uma nova correlação de forças entre os partidos burgueses, tendo como característica principal a superioridade da ND sobre o SYRIZA e, consequentemente, a mudança de governo sem uma mudança substancial na linha política, com um reforço do sistema bipolar, bem como uma tendência geral para o aumento do conservadorismo.

Nas eleições registou-se o justificado descontentamento popular com o governo do SYRIZA, que, nos anos anteriores, implementou a linha política antipopular, continuando o trabalho dos governos da ND e do PASOK. No entanto, é negativo que uma camada do povo se tenha virado para velhas e testadas escolhas antipopulares como a ND. A exploração e difamação dos valores socialistas de esquerda por parte do SYRIZA desmobilizaram a esquerda radical e popular, e tiveram um impacto negativo no movimento laboral e popular.

É positivo que o Golden Dawn tenha recuado, em termos de votos e percentagem e, como parece, não tenha entrado no Parlamento.

A percentagem do KKE foi alcançada em condições de polarização, chantagem, dilemas, desilusão, abstenção e um nível reduzido de reivindicações que são cultivados, não só por forças políticas burguesas, como a ND, mas também por forças que se apresentam como sendo de “esquerda”.

O novo grupo parlamentar, com a percentagem dada ao KKE pelo povo grego, dedicará todas as suas forças, nos próximos anos, a promover e defender os interesses da classe operária e das camadas populares do nosso país.

Os votos do KKE serão utilizados, a partir de amanhã de manhã, em todos os locais de trabalho, nos bairros, nas escolas e nas universidades, para organizar as lutas, a fim de bloquear novas medidas e conseguir o alívio de todos os que sofrem.

Todos sabemos que as dificuldades não terminaram. Todos compreendemos que o conto de fadas da “era pós-memorando” e “apenas desenvolvimento” não tem nada a ver com a vida quotidiana do nosso povo.

Amanhã haverá a programada reunião do Eurogrupo, que lembrará o novo governo da ND dos seus compromissos e prioridades antipopulares.

O KKE, com todas as suas forças, dentro e fora do Parlamento, lutará contra o novo governo do ponto de vista das necessidades dos trabalhadores, desempenhará o papel principal na organização das lutas da classe operária e das secções populares dos estratos médios contra a global agressão do capital, da UE e da NATO, a fim de abrir o caminho para o seu efetivo derrubamento.»

08.07.2019

 

Fonte: https://inter.kke.gr/en/articles/The-KKE-will-fight-against-the-new-anti-people-government-and-express-the-peoples-interests/, publicado e acedido em 2019/0/08

Tradução do inglês de PAT

 

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)



Nota dos Editores

A publicação de qualquer documento neste sítio não implica a nossa total concordância com o seu conteúdo. Poderão mesmo ser publicados documentos com cujo conteúdo não concordamos, mas que julgamos conterem informação importante para a compreensão de determinados problemas.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.