Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


União Sindical de Base (USB) – Itália

Esperamos que todos aqueles que se deslumbraram com os contos de fadas com que todos os média beatificaram, nas últimas semanas, o ex-presidente do BCE, venham a compreender, lendo atentamente os nomes dos ministros, que não estamos a tratar com um mundo de contos de fadas, mas com um mundo muito mais realista, um mundo de luta de classes.

 

Sem Título1.jpg

As coordenações nacionais das categorias da União Sindical de Base reuniram-se no sábado, 13 de fevereiro de 2021. Esta é a nota aprovada por unanimidade.

 

O novo governo de Draghi é indecente, criado à medida para servir as instituições financeiras, reestruturar o trabalho, obedecer ao BCE e à UE, com muitos fiéis partidários disfarçados de técnicos e representa o pior da política.

Os patrulheiros políticos chamados a supervisionar o mundo do trabalho é motivo de grande preocupação. A concessão do MISE [1] a Giorgetti, da Liga Norte, prenuncia um péssimo destino para as mais de 140 mesas de crise à espera de soluções que, há muito tempo, não aparecem, a começar pelo destino da Alitalia e da ArcelorMittal; o regresso de Brunetta à Administração  Pública reacenderá os ataques rudes e grosseiros aos funcionários públicos e porá em prática as medidas que introduziu com o governo de Berlusconi; a entrada do vice-secretário do Partido Democrático (PD), Orlando, no Ministério do Trabalho marcará uma união inseparável com a CGIL [2] , a CISL [3] e a UIL [4] e uma obediência estrita aos ditames da União Europeia em matéria de salários, pensões e rendimentos.

O governo de “todos no comboio do Fundo de Recuperação” é caraterizado pelo que já pudemos entender da investidura de Draghi; um governo que vai transferir o peso da gigantesca dívida para os ombros das massas populares e dos trabalhadores, que vai reestruturar o mundo do trabalho mais uma vez, em nome de uma digitalização e transição ecológica que será rejeitada mediante um enorme processo de transformação que encerrará a produção não competitiva, expulsará centenas de milhares de trabalhadores, reorganizará a administração pública e usará a digitalização para cortar ainda mais nas funções sociais a que o Estado está obrigado, incentivando a privatização e a venda de bens coletivos e joias de família.

Um governo que se prepara para deixar o Sul ainda mais para trás, favorecendo o sistema empresarial do Norte e estimulando ainda maiores desigualdades sociais e territoriais.

Esperamos que todos aqueles que se deslumbraram com os contos de fadas com que todos os média beatificaram, nas últimas semanas, o ex-presidente do BCE, venham a compreender, lendo atentamente os nomes dos ministros, que não estamos a tratar com um mundo de contos de fadas, mas com um mundo muito mais realista, um mundo de luta de classes.

A USB já está a dinamizar a realização de mobilizações para se opor às escolhas antipopulares que o governo Draghi se está a preparar para promover, tanto ao nível individual como coletivo.

Precisaremos de uma grande e duradoura mobilização geral que porá em movimento uma ampla gama de setores sociais e políticos para reverter a tendência, e este é o compromisso que a USB está a assumir para os próximos meses.

Notas

[1] MISE: Ministero dello Sviluppo Economico [Ministério do Progresso Económico] – NT

[2] CGIL: Confederazione Generale Italiana del Lavoro [Confederação Geral Italiana do Trabalho] – NT

[3] CISL: Confederazione Italiana Sindacati Lavoratori [Confederação Italiana de Sindicatos de Trabalhadores] – NT

[4] UIL: Unione Italiana del Lavoro [União Italiana do Trabalho] – NT

Fonte: https://internazionale.usb.it/leggi-notizia/the-new-government-is-indecent-built-to-serve-finance-restructure-labour-obey-the-ecb-and-the-eu-1425.html, publicado e acedido em 2021/02/15

Tradução do inglês de MFO

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temáticas:



Nota dos Editores

A publicação de qualquer documento neste sítio não implica a nossa total concordância com o seu conteúdo. Poderão mesmo ser publicados documentos com cujo conteúdo não concordamos, mas que julgamos conterem informação importante para a compreensão de determinados problemas.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.