Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Dimitris Koutsoumbas, SG do CC do KKE (Partido Comunista da Grécia) – vídeo-mensagem

Expressamos a nossa oposição às violações das fronteiras e ao questionamento dos tratados internacionais que definiram as fronteiras na região. 

Denunciamos as tentativas de impôr posições militares de força, a fim de criar factos consumados no Egeu e no Mediterrâneo Oriental, assim como os enormes gastos militares dos dois países, que fornecem um pano de fundo para confrontaões militares. 

 

Sem Título.jpg

Recentemente, o Partido Comunista da Turquia celebrou o 100.º aniversário da sua fundação, e algumas semanas antes realizou o seu 13.º Congresso, sob difíceis condições. O CC do KKE, na sua mensagem ao 13.º Congresso do TKP observou, entre outras coisas:

Os comunistas da Turquia, honrando o 100.º aniversário da fundação do heróico Partido Comunista da Turquia, podem dar novos passos. A Turquia, mas também toda a região do Mediterrâneo Oriental e dos Balcãs precisam de um Partido Comunista da Turquia cada vez mais forte, um 'partido revolucionário, um partido para a revolução', como defende o slogan do seu 13.º Congresso”. 

 O Partido Comunista da Turquia, no quadro da sua ação, criou o Prémio de Amizade “Mustafa Suphi”, em nome do revolucionário turco e fundador do Partido Comunista da Turquia, que foi assassinado, juntamente com os seus 14 camaradas, em 1921 pelo Estado burguês. O 1.º prémio, por decisão do CC do Partido Comunista da Turquia, foi atribuído ao camarada Dimitris Koutsoumbas, SG do CC do KKE.

O SG do CC do KKE enviou a seguinte mensagem, em video, ao Partido Comunista da Turquia:

«Caros camaradas,                                                                                                                             

                                                                                                  

Gostaria de lhes agradecer muito pela iniciativa de me homenagearem com o 1.º Prémio de Amizade "Mustafa Suphi", instituído pelo Partido Comunista da Turquia por ocasião do 100.º aniversário da sua fundação. 

Permitam-me que aproveite a oportunidade para realçar dois acontecimentos históricos desse período, que mostram o terreno comum da nossa luta. 

O camarada Mustafa Suphi e outros seus camaradas foram assassinados em 1921 pelo Estado burguês nas margens do Mar Negro, durante o seu regresso dos territórios da Rússia revolucionária. Alguns meses antes, no final de 1920, na mesma área, também foram assassinados os nossos camaradas Dimosthenis Ligdopoulos e Orion Alexakis, que regressavam à Grécia após a sua participação no II Congresso da Internacional Comunista (COMINTERN). 

Eles foram os primeiros mártires do nosso jovem Partido de então, que, como o vosso camarada Mustafa Suphi e outros seus camaradas, pagaram com as suas próprias vidas o ódio da burguesia à sua decisão de defender os ideais da sociedade socialista-comunista, de lutar pelos direitos do povo e pela causa da classe operária! Dois anos depois do assassinato do camarada Mustafa Suphi, Nikos Zachariadis, um jovem estivador de Istambul, tornou-se membro do Partido Comunista da Turquia e, mais tarde, um quadro do KKE e seu Secretário-geral por muitos anos. 

Estes são dois acontecimentos históricos na longa e heróica história dos nossos dois partidos, que iluminam a trajetória histórica paralela e muitas vezes idêntica e atormentada dos comunistas dos dois países, que passaram pelo “fogo e pelo aço” da luta de classes. 

Honramos a nossa história, honramos os nossos mortos, os nossos camaradas que passaram por indescritíveis torturas e prisões e pelo exílio. Honramo-los da melhor maneira possível: continuamos a sua luta todos os dias e, ao mesmo tempo, procuramos tirar lições históricas, para que a nossa luta se torne mais efetiva.

Camaradas, 

Acredito que a atribuição deste 1.º Prémio “Mustafa Suphi” ao SG do CC do KKE, deve   ser principalmente abordada sob o prisma do reconhecimento da necessidade da luta conjunta dos comunistas da Turquia e da Grécia contra o nacionalismo e o cosmopolitismo do capital, contra os interesses que exploram os povos, ora dividindo-os, ora saqueando-os por alianças imperialistas, como a NATO e a UE, ou a chamada “exploração conjunta” do Egeu a favor dos interesses dos monopólios. 

Hoje, os PC da Turquia e da Grécia alcançaram um alto nível de cooperação e coordenação da sua luta, tanto internacionalmente, como mostra a co-organização do 21.º Encontro Internacional dos Partidos Comunistas e Operários, em Izmir, como no que diz respeito às relações entre os dois países, destacando que “os povos dos dois países podem e devem reivindicar o seu direito a viver em paz! Não a uma confrontação militar pelos interesses da burguesia e das alianças imperialistas!”.

Opomo-nos a qualquer caso de incidente agudo e envolvimento em guerra. Expressamos a nossa oposição às violações das fronteiras e ao questionamento dos tratados internacionais que definiram as fronteiras na região. 

Denunciamos as tentativas de impôr posições militares de força, a fim de criar factos consumados no Egeu e no Mediterrâneo Oriental, assim como os enormes gastos militares dos dois países, que fornecem um pano de fundo para confrontaões militares. 

Denunciamos os planos de exploração de hidrocarbonetos no Egeu pelas classes burguesas dos dois países, visando ceder o controle dos recursos energéticos a monopólios estrangeiros e locais e criando condições para maiores complicações e acirramento do confronto, com riscos para o meio ambiente. 

A classe operária e o povo dos dois países nada têm a ganhar com esses planos. Lutamos pela saída dos dois países dos planos imperialistas, pelo regresso das forças militares na NATO e noutras missões imperialistas no exterior.

Lutamos pela saída dos nossos países das alianças imperialistas da NATO e da UE, para expulsar as bases dos EUA e da NATO dos nossos países. Os povos da Turquia e da Grécia não têm nada a dividi-los. Ambos têm interesse em reivindicar viver em paz e lutar pelo seu próprio futuro, contra a exploração capitalista e os lucros capitalistas, que levam à guerra e à destruição do meio ambiente.

Camaradas, 

Agora que os imperialistas, as classes burguesas e os monopólios põem em movimento as "máquinas da morte" e, outras vezes, os exercícios para roubar a riqueza popular ... 

Agora que envenenam as mentes dos trabalhadores, ora com o ódio do nacionalismo, ora com a “praga” do fatalismo e da submissão ... 

Agora é a hora de a nossa voz ser ouvida mais alto: os povos da Grécia e da Turquia devem fortalecer a sua luta para abolir a exploração do homem pelo homem e para atender às necessidades populares contemporâneas, para desenraizar as causas que levam os povos à “máquina de carne para canhão” da guerra imperialista ... 

Porque, como Mustafa Suphi salientou no seu apelo ao povo da Turquia: “Trabalhadores e camponeses pobres da Turquia! Só serão completamente libertados quando a tirania da classe capitalista for derrubada e a revolução socialista se espalhar por todo o mundo ...”.

Vivam os 100 anos do Partido Comunista da Turquia! 

Viva a luta conjunta do KKE e do TKP!

14/09/2020

Fonte: https://inter.kke.gr/en/articles/Video-message-by-Dimitris-Koutsoumbas-GS-of-the-CC-of-the-KKE-to-the-online-event-for-the-100-years-of-the-Communist-Party-of-Turkey-and-the-presentation-of-the-1st-Mustafa-Suphi-Friendship-Award/, publicado e acedido em 2020/09/14

Tradução do inglês de PAT

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)



Nota dos Editores

A publicação de qualquer documento neste sítio não implica a nossa total concordância com o seu conteúdo. Poderão mesmo ser publicados documentos com cujo conteúdo não concordamos, mas que julgamos conterem informação importante para a compreensão de determinados problemas.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.