Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Federação Sindical Mundial (FSM)

Os trabalhadores não têm de pagar os efeitos do surto de coronavírus na economia global, com medidas como despedimentos em setores como o turismo, o trabalho no domicílio e, mesmo, horários de trabalho ainda mais flexíveis.

Sem Título (9).jpg

Nenhum trabalhador deve perder o seu trabalho!

12 de março de 2020

A Federação Sindical Mundial, em nome de seus 100 milhões de membros em todo o mundo, expressa seu apoio a todos trabalhadores do globo, que enfrentam consequências na sua saúde e riscos nos seus direitos laborais, devido ao surto de coronavírus que agora regista um grande número de casos e mortes.

Instamos os governos a tomarem imediatamente todas as medidas necessárias para garantir a vida e a saúde dos trabalhadores, bem como a proteção dos seus direitos laborais.

A nossa grande família sindical de classe enfatiza a heroica contribuição dos trabalhadores da saúde e cientistas, nos hospitais e noutros serviços, que estão a lutar para proteger as vidas dos trabalhadores e de todas as pessoas, em condições de exaustão e em sistemas de saúde pobres e inadequados.

Estamos a descobrir as enormes lacunas nos Sistemas de Saúde, em resultado das políticas de subfinanciamento e comercialização dos Estados, que não consideram a Saúde e a Prevenção como um direito global, mas como uma mercadoria que gera imensos lucros às indústrias da Saúde e Farmacêutica. As miseráveis ​​e, até, inexistentes estruturas de Saúde nos países africanos, asiáticos e latino-americanos expõem os trabalhadores a uma séria ameaça, devido à pandemia.

Os trabalhadores não têm de pagar os efeitos do surto de coronavírus na economia global, com medidas como despedimentos em setores como o turismo, o trabalho no domicílio e, mesmo, horários de trabalho ainda mais flexíveis.

Nós exigimos:

  1. Recrutamento de pessoal médico e de enfermagem permanente, bem como a criação de novas estruturas públicas de saúde.
  2. Todos os serviços públicos devem estar totalmente equipados com o necessário material de desinfeção e proteção, fornecido pelo Estado gratuitamente à população.
  3. Dias de folga adicionais remunerados e seguro devem ser garantidos para:
    • Trabalhadores doentes.
    • Trabalhadores que são forçados a abster-se de trabalhar por causa de medidas preventivas de emergência.
    • Os chamados a cuidar de uma criança doente ou de um membro idoso da sua família; os que têm de ficar com os seus filhos em casa, devido ao encerramento preventivo de escolas e creches.
  4. Medidas de proteção substanciais e adequadas em todos os locais de trabalho.
  5. A exploração dos estratos populares por parte dos monopólios e multinacionais deve ser esmagada.

Na era dos rápidos desenvolvimento e avanço tecnológico, há todas as possibilidades científicas e produtivas para o efetivo combate às epidemias e proteção dos povos. Em vez disso, os trabalhadores e os estratos populares estão a sofrer as consequências do bárbaro sistema capitalista e estão expostos ao risco das suas próprias vidas e à sobrevivência das suas famílias.

Exigimos que todos os Estados, governos e organizações internacionais assumam, sem qualquer demora, medidas completas e substanciais para a prevenção e proteção da saúde e da vida dos trabalhadores e dos povos, bem como para a proteção dos seus direitos laborais, através  da eficácia das medidas que estão anunciadas.

O Secretariado

Fonte: http://www.wftucentral.org/wftu-statement-on-the-coronavirus-pandemic/, publicado e acedido em 2020/03/12

Tradução do inglês de PAT

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)



Nota dos Editores

A publicação de qualquer documento neste sítio não implica a nossa total concordância com o seu conteúdo. Poderão mesmo ser publicados documentos com cujo conteúdo não concordamos, mas que julgamos conterem informação importante para a compreensão de determinados problemas.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.