Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

I. V. Stáline

[A publicar por partes – cap. VII (fim da publicação)]

Janeiro de 1913

Está perfeitamente dentro das possibilidades o aparecimento de uma combinação de circunstâncias internas e externas, dentro das quais esta ou aquela nacionalidade da Rússia acredite necessário apresentar e resolver o problema da sua independência. E naturalmente não são os marxistas que haverão de opor obstáculos num caso desses.

 

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

I. V. Stáline

[A publicar por partes – cap. VI]

Janeiro de 1913

A autonomia nacional-cultural pressupõe nacionalidades mais ou menos desenvolvidas, com uma cultura e uma literatura desenvolvidas também. Sem estas condições ela perde todo o sentido, torna-se um absurdo.

 

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

I. V. Stáline

[A publicar por partes – cap. V]

Janeiro de 1913

Mas eis que chega a primeira década do século XX. Começa o movimento operário de massa. Cresce a social-democracia polaca e arrasta à luta de massas os trabalhadores judeus. Cresce a social-democracia da Rússia e atrai os operários do Bund. Os limites nacionais do Bund, falhos de uma base territorial, começam a tornar-se estreitos. Ante ele surge o problema de dissolver-se na onda internacional geral ou de conservar sua existência independente, como organização extraterritorial. E é o segundo caminho que ele prefere.

 

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

 I. V. Stáline

[A publicar por partes – cap. IV]

 

 

Janeiro de 1913

O desejo de Bauer de apresentar a sociedade socialista sob a forma de “um quadro compacto de uniões nacionais pessoais e corporações territoriais” é um tímido intento de suplantar a conceção marxista do socialismo pela conceção reformista de Bakunine.

 

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

I. V. Stáline

[A publicar por partes – cap. III]

Janeiro de 1913

A nação tem o direito de organizar-se autonomamente. Até o direito da separação. Isto não significa, porém, que deva fazê-lo sob quaisquer condições, que a autonomia ou a separação sejam sempre e em toda a parte vantajosas para a nação, isto é, para a maioria dela ou para as camadas trabalhadoras.

 

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

I. V. Stáline

[A publicar por partes – cap. II]

Janeiro de 1913

A nação não é somente uma categoria histórica, mas uma categoria histórica de uma época determinada, da época do capitalismo ascensional. O processo de liquidação do feudalismo e do desenvolvimento do capitalismo é, ao mesmo tempo, o processo de agrupamento dos homens em nações.

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

I. V. Stáline

[A publicar por partes – introdução e cap. I]

Janeiro de 1913

E a onda de nacionalismo belicoso levantada de cima e toda uma série de repressões desencadeadas pelos “poderosos do mundo” para vingar-se da periferia pelo seu “amor à liberdade” provocaram, como réplica, uma onda de nacionalismo vinda de baixo, que muitas vezes se convertia num tosco chauvinismo.

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

Karl Marx

 

Cada novo empréstimo constituía uma nova oportunidade de pilhar o público que investira capitais em títulos do Estado, mediante operações de Bolsa em cujo segredo estavam o governo e a maioria representada na Câmara.

 

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

J. V. Stáline

 

Ao reconhecer aos povos oprimidos o direito da separação, o direito de decidir dos seus destinos políticos, não resolvemos a questão de se tais nações devem separar-se do Estado russo, num momento dado. Posso reconhecer a uma nação o direito da separação, mas isto não significa que a obrigue a separar-se. O povo tem o direito de separar-se, mas pode, segundo seja a situação, não usar desse direito.

 

 

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

V. I. Lénine

 

Tomemos a situação da mulher. Nenhum partido democrático do mundo, em nenhuma das repúblicas burguesas mais progressistas, realizou a esse respeito, em dezenas de anos, nem mesmo a centésima parte daquilo que nós fizemos apenas no primeiro ano de nosso poder. Não deixamos literalmente pedra sobre pedra de todas as abjetas leis sobre as limitações dos direitos da mulher...

 

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)


Nota dos Editores

A publicação de qualquer documento neste sítio não implica a nossa total concordância com o seu conteúdo. Poderão mesmo ser publicados documentos com cujo conteúdo não concordamos, mas que julgamos conterem informação importante para a compreensão de determinados problemas.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.