Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

John Davis*

As preocupações com as mudanças das condições meteorológicas levaram a um legítimo clima de medo. É um medo primário semelhante ao do pavor dos animais selvagens predadores. É um medo que nasceu na nossa atual situação numa ecologia global que ao mesmo tempo se caracteriza por ameaças extremas e confortos extraordinários.

 

 

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temáticas:

José Manzaneda, coordenador de Cubainformación

…o que aconteceria a uma cidadã espanhola que defendesse o bloqueio internacional total à economia da Espanha? E a um cidadão, também espanhol, que propusesse na televisão da Rússia, por exemplo, que esse país bombardeasse Madrid?

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temáticas:

José Carlos Faria

 

REVOLUCIONAR A ARTE. Quando, às 4.30 da madrugada de 10 de Fevereiro de 1898, veio ao mundo na cidade alemã de Augsburgo Eugen Bertold Friedrich Brecht, filho de um próspero industrial, Marx (falecido em 1883) tinha nascido há 80 anos, o Manifesto Comunista, com o espectro que percorria a Europa, fora editado há meio século e, na Rússia czarista, Konstantin Stanislavsky e Nemirovitch-Dantchenko fundavam o Teatro de Arte de Moscovo.

 

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temáticas:

Ali Mohsin *

 

Desde 2004, o exército paquistanês realizou inúmeras operações de contrainsurgência nas Áreas Tribais Administradas Federalmente (ATAF). Estas operações foram realizadas a mando de Washington e contra a vontade do povo paquistanês.

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temáticas:

Mauro Iasi * [1]

 

Marx disse certa vez que não se deve brincar com a insurreição se não quiser levá-la até as últimas consequências. Ao que parece o lulopetismo espera que as massas garantam que Lula não seja preso e dispute as eleições, mas que depois saiam de cena para que tudo volte aos trilhos da normalidade para que se possa remendar o pacto social esgarçado pelo golpe.

 

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temáticas:

Robert Maggiori  

 

Era um homem de combate, talvez o último representante de um século onde existia no centro da vida política, os partidos, os sindicatos, o compromisso duradouro, onde havia uma esquerda socialista e uma esquerda comunista, onde as opostas conceções do mundo se afrontavam. …

A “abstenção política” nunca a conhecerá, mas as suas lutas parecer-lhe-ão terem sido desesperadas pelo que ele chama os “anos de chumbo”, esses anos que abrem a “mitterrandolatria”, durante os quais a esquerda, enfeitiçada com as sereias liberais, perde a sua alma e, por uma espécie de “autoaversão”, liquida “o que restava do movimento comunista”.

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temáticas:

Vijay Prashad *

 

Os europeus querem mover a sua fronteira sul da costa do mar Mediterrâneo para a orla do deserto do Sahara. As bases militares francesas estendem-se através do Sahel, enquanto os Estados Unidos constroem uma enorme base em Agadez (Níger) a partir de onde vai operar drones para dar apoio aéreo. A tropa chegou ao Sahel para parar o fluxo de migrantes.  

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temáticas:

David Rosen*

 

Em 1930, o economista John Maynard Keynes previu que, no prazo de um século, o aumento da produtividade significaria que todos estaríamos a trabalhar 15 horas semanais. A pouco mais de uma década desse prazo, tudo indica que essa previsão não se irá verificar.

 

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temáticas:

Francisco Arias Fernández (Resumen Latinoamericano) [1]

Mais de 45 milhões de pessoas hoje vivem em condições de “escravidão moderna”, servindo em embarcações de pesca devido a dívidas, sujeitas a casamentos forçados, detidas contra a vontade, como empregados domésticos ou presos em prostíbulos sob ameaça de violência.

 

 

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temáticas:

Partido Comunista da Grécia (KKE)

 

Na tarde do dia 4 de dezembro, o governo do SYRIZA-ANEL tentou – dissimuladamente, como um assaltante – aprovar a abolição do direito à greve. O seu plano inicial não pôde ser concretizado, tendo sido revogada a alteração antes da meia-noite do mesmo dia, depois das reações do KKE e do movimento sindical que, de imediato, condenaram as miseráveis táticas ​​do governo e organizaram uma manifestação para ontem, durante a votação da emenda.

 

 

 

 

Print Friendly and PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temáticas:


Nota dos Editores

A publicação de qualquer documento neste sítio não implica a nossa total concordância com o seu conteúdo. Poderão mesmo ser publicados documentos com cujo conteúdo não concordamos, mas que julgamos conterem informação importante para a compreensão de determinados problemas.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.